HORÁRIO DAS MISSAS

Igreja Matriz
Quarta-feira, às 19h30min
Domingo, às 10h
Sábado, às 19h

Comunidade
São Pedro
Domingo, às 18h30min
Quinta-feira, às 20h

Menino Jesus
Terça-feira: 19h30min
Domingo, às 9h

Células Católicas de Evangelização

Em nossa Paróquia temos somando às diversas pastorais e movimentos,o Sistema de Evangelização Católicos em células, que desde o início deste ano vem atuando em nossa paróquia com reuniões aos sábados às 20 horas e também na Comunidade Menino Jesus, bairro Umbú, com reuniões aos sábados, às16 horas, com previsão de expansão para a comunidade São Pedro. 

Os católicos em células se fazem presente em vários países, no Brasil com forte atuação no Estado de São Paulo, e aqui no Rio Grande do Sul a primeira Paróquia a implantar este sistema foi a Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem de Cachoeirinha a pedido do então Pároco Alexsandro Mello, hoje nosso atual pároco, os membros da Célula de Cachoeirinha são os responsáveis pela implementação em nossa paróquia.

Na comunidade Menino Jesus, a célula tem produzido muitos frutos, abrangendo muitos jovens da região, nos encontros há sempre muita animação, música, um verdadeiro núcleo de amizades, estas enraizadas na fé. 

Você que já pertenceu a algum grupo ou movimento, ou que nunca vivenciou nada do tipo, aproveite e venha viver uma nova experiência. 

Conheça um pouco mais:

Histórico

O modelo de evangelização proposto pelo sistema celular teve início na Igreja Católica na década de 80, com o Pe. Michael Eivers, na Flórida. Depois foi assimilado pelo Pe. PiGi Perini, presidente do Organismo Internacional, que não somente aplicou-o com êxito em sua comunidade a Paróquia de Sant’Eustorgio, em Milão, como sistematizou-o, inclusive com estatuto próprio, para servir dioceses, paróquias, novas comunidades e movimentos eclesiais de todo o mundo. Em 2009 o Pontifício Conselho para os Leigos acolheu este método por meio do reconhecimento pontifício, tornando o Organismo Internacional de Células um caminho seguro para toda a Igreja viver a nova evangelização no contexto das pequenas comunidades.

No Brasil o sistema de células está sendo vivenciado frutuosamente em dezenas de dioceses, tendo sido adotado por paróquias, novas comunidades e novos movimentos eclesiais.


Células
Célula é um grupo de relacionamento constituído de até doze pessoas (número máximo ideal), mas que pode chegar a quinze membros, reunindo-se semanalmente como uma família de Deus (cf. Ef 2, 19). Nela, se vivencia a comunhão fraterna, o louvor e a adoração, a edificação na Palavra, o evangelismo e o serviço uns aos outros, procurando aumentar gradativamente nos discípulos a comunhão com o Senhor.
As células fazem parte da vida do povo de Deus. Prova disto são os exemplos de Moisés (cf. Ex 18, 21) e, sobretudo de Jesus, que liderou os doze, a primeira célula da Igreja (cf. Mc 3, 14).

Células

Células são grupos de relacionamento constituídos de 8 até 15 pessoas que se reúnem semanalmente como uma família, e que têm compromisso de participar nas atividades da Igreja local (alguma comunidade maior).
Nelas, vivencia-se os 5 propósitos de Deus para a Igreja:
1) Koinonya – comunhão fraterna;
2) Liturgia – louvor e adoração;
3) Catequese – edificação dos discípulos pela Palavra;
4) Martyria – anúncio de Cristo;
5) Diakonia – serviço uns aos outros.

A célula é uma comunidade e não uma mera reunião. Todavia, no seu encontro semanal esses 5 propósitos são manifestados, em seus 5 estágios, também chamados de 5′Es: Encontro, Exaltação, Edificação, Evangelismo e Entrega.
Os pequenos grupos ou células sempre fizeram parte do povo de Deus. Veja o exemplo de Moisés (cf. Ex 18,21) e o testemunho de Jesus, que liderou a primeira célula da Igreja com os doze apóstolos (cf. Mc 3,14).

Estas se reúnem nos lares como verdadeiras comunidades domésticas, mas a célula pode se reunir também em empresas, em escolas, em salões de condomínios, em qualquer lugar que propicie o silêncio e o bem estar dos membros.

Na biologia, a célula não é o corpo todo, mas traz dentro de si todas as informações necessárias para gerar um corpo inteiro. Nesse sentido, célula é a miniatura da Igreja se reunindo nos lares, é uma pequena comunidade e que atua como centro de treinamento ministerial, pois além de seus membros vivenciarem o “amai-vos” (cf. Jo 13,34), são capacitados para o “ide” (cf. Mt 28,19).

A célula imprime um estilo de vida, de modo que seus membros não conseguem separar fé e vida. Por isso, testemunham Cristo no meio em que vivem (oikos), penetrando nos variados segmentos da sociedade, como sal e luz (cf. Mt 5,13-14).

A convivência dos irmãos é o que garante vida à célula. Nela são gerados fortes vínculos de comunhão, de amizade e de aceitação. Algumas células são homogêneas (exemplo: somente casais, jovens, mulheres…), outras heterogêneas (integrando pessoas de diferentes sexos e idades).

As células são uma possibilidade de transformar a pastoral ordinária em uma pastoral decididamente missionária; são, além disso, um caminho consistente de revitalização das paróquias em ordem a vivência da sonhada renovação eclesial chamada de COMUNIDADE DE COMUNIDADES.

A conversão pastoral de nossas comunidades exige que se vá além de uma pastoral de mera conservação para uma pastoral decididamente missionária. Assim, será possível que “o único programa do Evangelho siga introduzindo-se na história de cada comunidade eclesial” com novo ardor missionário, fazendo com que a Igreja se manifeste como uma mãe que nos sai ao encontro, uma casa acolhedora, uma escola permanente de comunhão missionária” (Documento de Aparecida, 370).

A pastoral em chave missionária exige o abandono deste cômodo critério pastoral: “fez-se sempre assim”. Convido todos a serem ousados e criativos nesta tarefa de repensar os objetivos, as estruturas, o estilo e os métodos evangelizadores das respectivas comunidades” (Evangelli Gaudium, 33).
                                                                     Daniele Lírio
Pascom| Pastoral da comunicação | Paróquia Nossa Senhora da Saúde
     


Benfeitor

Benfeitor

Supermercado Teka