HORÁRIO DAS MISSAS

Igreja Matriz
Quarta-feira, às 19h30min
Domingo, às 10h
Sábado, às 19h

Comunidade
São Pedro
Domingo, às 18h30min
Quinta-feira, às 20h

Menino Jesus
Terça-feira: 19h30min
Domingo, às 9h

Domingo de Ramos

140413_domingoderamos

 

A Semana Santa começa no Domingo de Ramos, porque celebra a entrada de Jesus em Jerusalém montado em um jumentinho – o símbolo da humildade – e aclamado pelo povo simples. O  Domingo de Ramos é o início da Semana que mistura os gritos de hosanas com os clamores da Paixão de Cristo. O povo acolheu Jesus abanando seus ramos de oliveiras e palmeiras, ramos estes que significam a vitória.

O sentido da Procissão de Ramos é mostrar essa peregrinação sobre a terra que cada cristão realiza a caminho da vida eterna com Deus.

Neste Domingo de Ramos e da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, nós contemplamos o ministério da redenção humana. Primeiro, em Jesus exaltado no meio do Seu povo e, entramos de uma forma triunfante e  gloriosa em Jerusalém. O povo aclama: ”Hosana nas alturas, bendito é aquele que vem em nome do Senhor”.

O Senhor, que entra triunfante em Jerusalém, é o Senhor que vai morrer injustamente condenado em uma cruz como o pior dos malfeitores. Há um povo que aclama Jesus; há um povo que nega Jesus; há um povo que vai depois contemplar a glória desse mesmo Deus.

Nós, hoje, queremos olhar para a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. Claro, sem perder de vista a Sua ressurreição gloriosa. Ele, neste domingo, quer nos convidar a entrarmos em um mistério profundo do drama, da paixão, da dor e do sofrimento d’Ele. Cristo, que assumiu ser homem como nós e, uma vez que Ele assumiu a nossa humanidade, ser um de nós; no meio de nós Ele se humilhou sempre mais!

Humilhar quer dizer: rebaixar-se, colocar-se abaixo dos outros; não acima, não superior aos outros. Jesus não quis ser mais do que ninguém, não quis ser aclamado, exaltado, louvado, purificado. Não, Ele quis ser um de nós! Ele quis viver, no meio de nós, tudo aquilo que a humanidade vive: seus dramas, suas lutas, seus sofrimentos. Abraçou aquilo que muitos seres humanos precisam abraçar na Sua vida: a dor da injustiça, a dor da maldade humana e, mesmo sem pecado, Ele seguiu adiante carregando a Sua cruz.

Nosso Senhor Jesus Cristo, Nosso Deus amado, humilhado por causa dos nossos pecados, é, hoje, exaltado no mundo inteiro. Mas não se exalta o Senhor sem primeiro entrar no mistério da Sua humilhação; para que nós também, meus irmãos, sejamos curados das humilhações que sofremos em nossa vida. Para que descubramos sempre mais que o caminho da salvação está na humildade, não no orgulho, na exasperação ou na exaltação humana.

Que nós, hoje, possamos aprender a percorrer os caminhos de Jesus, que nós possamos aprender a percorrer a estrada e a via da humildade; onde estão os humildes, onde estão os rejeitados. Onde nós saibamos também crescer com as humilhações, com as rejeições e com as contrariedades da própria vida.

PASCOM-Pastoral da Comunicação|Paróquia Nossa Senhora da Saúde
 Maurício Oliveira


Supermercado Teka

Benfeitor

Benfeitor